• botelhomarcos

A última dança




Enfim chegou a última rodada do Campeonato Brasileiro série A 2020. Um campeonato que teve inicio em um ano e fecha em outro, assim como o fatídico Brasileirão de 77 - do vice invicto.


O jogo de hoje não só marcará o término de uma edição atípica de campeonato, mas também ciclos no time alvinegro. Alguns ciclos se encerram dividindo opiniões, outros apertando o coração.


Citemos primeiro o fim do ciclo de Jorge Sampaoli e sua comissão técnica, que já anunciaram o rompimento do trabalho e, estão de malas prontas para o velho continente.

De um começo de trabalho avassalador, conquistando à Massa Atleticana e também os especialistas do futebol, para um fim melancólico, no qual o desgaste fala mais alto; tanto quanto o ego do treinador argentino. Sampaoli não abriu mão das suas convicções, o que gerou alguns resultados não satisfatórios, por mais que os acertos tenham sido vários, até mais que os erros. Mas ele se despede - acompanhando o jogo por camarote, em decorrência da sua terceira suspensão na competição - com um sentimento de que a jornada poderia ter sido um pouco melhor.


Sendo hoje a última partida do Galo no Brasileirão 2020, a Massa sabe que deverá guardar na memória a data; não tratando apenas de uma partida valendo a garantia do terceiro lugar na tabela, mas também de despedidas.


Ficha técnica do jogo


O árbitro da partida será o experiente e polêmico Heber Roberto Lopes;

assistido por, Alex dos Santos e Henrique Neu Ribeiro. Na cabine do VAR o comando será de Braulio da Silva Machado, com assistência de Adriano Barros Carneiro e Helton Nunes.


Provável time titular: Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair e Hyoran; Savarino, Sasha e Keno.


O Galo até aqui no Campeonato: 3° colocado com 65 pontos, em 37 jogos: 19 vitórias, 8 empate e 10 derrotas - 62 gols marcados e 46 sofridos. Um aproveitando de 58,55%.

Keno artilheiro e líder de assistências da equipe na competição, tendo balançado as redes adversárias 10 vezes e anotadando sete passes para gol.


São Victor e Diego Tardelli


Se por um lado a ida do argentino é comemorada por uma parte da torcida, o (quase) certo fim de ciclo de duas lendas da história atleticana causa aperto e comoção na torcida; Victor e Tardelli em final de contrato.


Ídolos e heróis em conquistas recentes do Galo, o goleiro e o atacante devem fazer suas últimas aparições com a camisa branca e preta que entorta varal - principalmente em tempestades - no próximo domingo, na estreia do Galo no Campeonato Mineiro 2021.

Victor ainda não sabe se pendura as luvas ou estende a carreira em outra equipe, mas sabe que se optar pela primeira escolha, terá oferta para trabalhar nos bastidores do Clube Atlético Mineiro. Diego Tardelli vive situação diferente, o 15° maior artilheiro da história do Galo, com 110 gols, quer renovar seu contrato, mas depende de uma delicada situação; reduzir salário e ter o aval do novo treinador, o que não é uma boa notícia, lembrando que o favorito a substituir Jorge Sampaoli é o técnico do Grêmio, Renato Gaúcho. Tardelli foi dispensado do equipe tricolar no começo de 2020 por Portaluppi, o que sacramenta a despedida do camisa 9.


A estreia do Galo no Campeonato Mineiro será no Mineirão, às 18h15 do próximo domingo (28). Com os principais jogadores em recesso, uma equipe alternativa entrará em campo, comandada por Éder Aleixo e Lucas Gonçalves, auxiliares fixos do Atlético. E a festa da despedida para os ídolos está sendo preparada.


Até aqui Victor atuou em 423 jogos pelo Atlético, tendo conquistado; três Campeonatos Mineiros, a Copa Libertadores de 2013, a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014 e, diversos homônimos de 2013 até aqui.


Diego Tardelli, além dos 110 gols marcados, fez 222 jogos, em três passagens pelo Galo. Assim como Victor, conquistou a Libertadores, a Recopa e a Copa do Brasil. Além da conquista de dois Estaduais.

#ARádioDaMassa!

0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!