• jornalismo42

Botijão de gás sobe R$ 27 e pode custar até R$ 135 na RMBH

O botijão de gás de 13 quilos, entregue em casa, pode custar até R$ 135 na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O valor corresponde a pouco mais de 12% do salário mínimo (R$ 1,1 mil). Segundo pesquisa do Mercado Mineiro, a variação é de 35%. Ela foi realizada em 102 estabelecimentos entre os dias 20 e 22 de outubro.

O valor médio registrou aumento de 31,82% entre janeiro e outubro deste ano. O preço passou de R$84,81 para R$111,80. O cilindro de 45 quilos apresentou variação de 54%, chegando a custar R$ 540. O preço médio saía por R$ 328,87 em janeiro. Ele passou para R$ 402,73, um aumento de 22%. A pesquisa completa está disponível no site Mercado Mineiro.


Impacto na população

Segundo o coordenador do Mercado Mineiro, o economista Feliciano Abreu, os aumentos no gás de cozinha causam um impacto significativo na população, principalmente a de baixa renda.

"A população sofre muito, porque o aumento no gás de cozinha atinge em cheio a população de baixa renda, que é aquela que mais faz comida dentro de casa, café da manhã pra muita gente que mora junto em casas menores", diz ele.

"O cilindro também – aumenta condomínio, o custo de uma padaria, de um restaurante. Tudo isso faz com que o consumidor tenha cada vez menos condições de ter dignidade dentro de casa", conclui.




0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!