• Adriana Valadares

Cidades da Grande BH só mudarão plano de vacinação se receberem mais imunizantes

Mesmo com o pedido feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que prefeitos não guardem mais metade dos lotes das vacinas anti-Covid-19 recebidas para aplicar a segunda dose do imunizante, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou que só vai avaliar mudanças na estratégia de vacinação na capital mineira após a chegada de novas doses da vacina.

A nova orientação do Ministério da Saúde vale a partir da próxima terça-feira (23), quando o governo federal espera receber mais 4,7 milhões de imunizantes. A informação foi divulgada pela Frente Nacional dos Prefeitos, que pediu a reunião com o ministro. “A partir do dia 23, com a chegada de 4,7 milhões de novas vacinas, a imunização será em 4,7 milhões de brasileiros, não a metade, como estava acontecendo”, informou a frente.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a cidade conta com o estoque para vacinar os públicos-alvo priorizados inicialmente – trabalhadores da saúde de hospitais; UPAs; Cersams; Samu; pessoas a partir de 60 anos e pessoas com deficiência institucionalizadas; e idosos com 86 anos ou mais –, e que não haverá alteração para o público já contemplado com a vacina. Até o momento, Belo Horizonte recebeu 242.220 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 201.720 da Coronovac e 40.500 da Astrazeneca/Oxford.

A partir desta semana, será a vez de os idosos acamados de 86 a 88 anos, que estão se cadastrando no portal da prefeitura, serem vacinados.

Em nota, a pasta afirmou que é “imprescindível que novas remessas de vacinas sejam entregues à Secretaria Municipal de Saúde para a ampliação dos grupos definidos para a imunização”.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informou que o Estado já recebeu, até agora, 1.171.180 doses da vacina contra a Covid-19 e possui um estoque de 3.120 de reserva técnica, armazenadas na Central Estadual da Rede de Frio, no bairro Gameleira, na região Oeste de Belo Horizonte.

O objetivo, segundo a SES-MG, é que essas doses sirvam para atender os grupos prioritários em caso de perda pelos municípios. Minas deve receber 560 mil novas doses do Ministério da Saúde no início de março, sendo 270 mil a 300 mil da Coronavac, 130 mil da Astrazeneca/Oxford – para a segunda aplicação em indivíduos que tomaram a primeira no fim de janeiro – e outras 130 mil novas doses da AstraZeneca.


Grande BH

Assim como Belo Horizonte, os municípios de Betim e Contagem, na região metropolitana, informaram que, por enquanto, seguirão o planejamento de vacinação que já haviam estabelecido.

Betim iniciou a aplicação das doses no público de mais de 90 anos na segunda-feira. O município aguarda o envio de mais imunizantes para atingir outros grupos. Já Contagem encerrou ontem a vacinação de idosos a partir de 89 anos e começará na segunda-feira a imunizar o público-alvo de 87 e 88 anos.




0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!