• jornalismo42

Com a identificação de mais uma vítima, cai para 10 o número de corpos desaparecidos em Brumadinho

Uma das onze vítimas, cujos corpos seguiam desaparecidos após a tragédia da Vale, em Brumadinho, na Grande BH, foi identificada nessa quinta-feira (27). A informação foi divulgada pelo governador Romeu Zema (Novo).

Ela foi possível através de um fragmento do fêmur encontrado no dia 14 de janeiro. De acordo com a Polícia Civil, após a localização, ele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), em Belo Horizonte, onde passou por triagem. No dia 28 de janeiro, foi enviado para o laboratório de DNA do Instituto de Criminalística.

A vítima é o soldador e mecânico Renato Eustáquio de Sousa, que trabalhava na Vale havia nove anos. Ele completaria 32 anos em março de 2019. Era casado e tinha duas filhas. No dia do rompimento, passava por um treinamento na mina de Córrego do Feijão para ser promovido.

A última identificação de uma vítima de Brumadinho aconteceu há um ano e cinco meses.

Agora, são 10 corpos desaparecidos, desde que a Barragem de Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019. Ao todo, 270 pessoas morreram.


Trabalho de idenficação das vítimas

A Polícia Civil já recebeu 909 segmentos de corpos, que foram fragmentados diante da força do rompimento da barragem. A análise de 874 foi processada e finalizada, o que levou à identificação de 260 vítimas, visto que muitos segmentos são de uma mesma pessoa.

Atualmente, há 35 fragmentos em processamento no laboratório de DNA do Instituto de Criminalística, onde os profissionais trabalham com o objetivo de concretizar a extração de DNA para obter um perfil genético de qualidade. Ainda hoje, passados mais de dois anos da tragédia, a polícia recebe, em média, um segmento por dia.


Trabalho dos Bombeiros

Segundo o Corpo de Bombeiros (CBMMG), até março de 2021, 3.913 militares já atuaram, em revezamento, em atividades de campo, coordenação e de saúde em Brumadinho. As buscas tinham sido interrompidas em março por causa da pandemia, mas foram retomadas no dia 12 de maio.

"Atualmente, o CBMMG se prepara para a implementação da oitava fase de buscas, que contará com tecnologia para a aceleração do processo de vistoria de rejeito, doutrina advinda das análises dos especialistas bombeiros militares e que aumentará ainda mais a possibilidade de se localizar e identificar as 10 joias restantes", disse em nota a corporação.



0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!