• jornalismo42

Deputados pedem CPI sobre suspeita de 'fura-fila' na vacinação em Minas

A Comissão de Saúde, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), entrou, nesta quarta-feira (10), com um requerimento para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeitas de “fura-fila” em vacinação dentro da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

O secretário Carlos Amaral admitiu que foi vacinado. Assessores e outros servidores da pasta também foram imunizados. De acordo com ele, a secretaria é considerada serviço essencial e, por isso, os funcionários receberam a dose contra a Covid-19. O Ministério Público investiga irregularidades na vacinação dentro da pasta, já que segundo as denúncias, os servidores não se enquadrariam nos critérios de grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.

Carlos Amaral foi sabatinado nesta quarta-feira por parlamentares na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ao ser perguntado pelo presidente da Comissão de Saúde, deputado João Vitor Xavier (Cidadania), sobre os motivos de ter sido imunizado, o secretário voltou a dizer que a pasta é responsável por gerir ações de combate ao coronavírus e, portanto, trata-se de serviço essencial.

Ele disse ainda que o governo do estado disponibilizou vacinas suficientes para que os municípios imunizem 100% dos idosos e portadores de deficiência que vivem em asilos, 100% dos indígenas que vivem em áreas demarcadas, 100% dos maiores de 90 anos, 100% das pessoas entre 85 e 89 anos, 24% das de 80 a 84 anos que estão acamadas e 81% dos trabalhadores de saúde, seguindo os critérios de prioridade.

Porém, segundo o deputado João Vitor Xavier, o secretário não respondeu detalhes sobre a vacinação que acontece dentro da pasta e, por isso, pediu pela abertura de uma CPI.

“O secretário não fez conosco o compromisso expresso de enviar a lista dos servidores que foram vacinados. Quem são? Quando foram vacinados? Qual é a função delas? Onde elas trabalham? Por que elas foram priorizadas?”, perguntou o parlamentar.

A SES não se manifestou sobre o pedido de abertura da CPI.



0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!