• jornalismo42

Em um mês de vacinação em Minas apenas um grupo prioritário foi integralmente imunizado

Desde que o primeiro lote com vacinas contra a Covid-19 desembarcou em Minas Gerais, há exato um mês, apenas um grupo do público-alvo da fase inicial da campanha de vacinação recebeu a primeira dose do imunizante em sua totalidade. A cobertura mais alta foi registrada em pessoas com deficiência que estão institucionalizadas, com 100%, seguido da população indígena, com 84,93% e dos profissionais de saúde, com 60,18%. Já em idosos acima de 60 anos, que vivem em instituições de longa permanência, a cobertura é de 56,34% de imunização.

No total, até esta quinta-feira (18), a primeira dose do imunizante foi aplicada em 60,49% do grupo público-alvo prioritário definido pelo Programa Nacional de Imunização. Já para a segunda dose, o índice atingiu 20,32%. Os dados constam no Vacinômetro, painel do executivo estadual que monitora a campanha em Minas.

Até hoje, 433.553 pessoas foram imunizadas em território mineiro. Deste grupo, 145.602 tomaram a dose complementar. Segundo o levantamento, receberam a imunização 402.553 profissionais da linha de frente no combate à Covid, 21.736 idosos que estão em asilos, 2.580 deficientes em residências inclusivas e 6.344 índios que vivem em aldeias. Com relação à segunda dose, 131.164 (19,59%) foram aplicadas em trabalhadores da saúde, 10.912 (28,29%) em idosos, 641 (55,26%) em deficientes e 2.885 (38,61%) em indígenas.

De acordo com a SES, para toda Minas Gerais o Ministério da Saúde disponibilizou 1.171.180 imunizantes.

Nessa quarta-feira (17), o governador Romeu Zema (Novo) informou que o Estado receberá mais de 10 milhões de doses até o mês de abril. O envio da próxima remessa, por meio do governo federal, deve acontecer ainda em fevereiro.


0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!