• jornalismo42

Governo de Minas e prefeituras de BH e Contagem assinam contrato para obras na av. Tereza Cristina

Como forma de minimizar os impactos das enchentes na região da avenida Tereza Cristina, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), assinou um acordo de cooperação técnica com as prefeituras de BH e Contagem para a execução de obras de contenção de cheias nos córregos Ferrugem e Riacho das Pedras, que são afluentes do Ribeirão Arrudas.

De acordo com o Estado, serão destinados, no total, R$ 298 milhões provenientes do Termo de Reparação assinado com a Vale após o rompimento da barragem em Brumadinho, em 2019. Atualmente, o termo é analisado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Os valores de cada intervenção, no entanto, não foram divulgados. Segundo o governo, eles serão definidos após atualização dos orçamentos dos projetos pelas prefeituras e pelo Estado. O governo estadual será responsável pela liberação dos recursos, por meio de convênios.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, as obras deverão gerar 5.610 empregos, sendo 1.232 diretos e 4.378 a partir do estímulo a outras atividades econômicas que terão sua demanda aumentada pelo setor de construção.

Obras e intervenções

Entre as obras, está prevista a construção de três bacias de contenção de cheias no Córrego Ferrugem. As bacias da Vila Itaú e Vila PTO serão feitas pelo município de Contagem, enquanto a Bacia da Vila Esporte Clube, e um parque linear, serão de responsabilidade de Belo Horizonte.

Já no Córrego Riacho das Pedras (em Contagem) serão concluídas as obras da Bacia B2 (Bacia do Rio Volga); a execução da Bacia B5 (Toshiba); a execução do canal de macrodrenagem; a revisão dos projetos das demais bacias e posterior conclusão das obras; além das desapropriações necessárias. Esta etapa recebeu recursos de convênios do governo federal, mas dependia de recursos estaduais adicionais.

Com as intervenções, a expectativa é minimizar os estragos causados na Avenida Tereza Cristina justamente por conta do transbordamento dos córregos Ferrugem e Riacho das Pedras, que desaguam no Arrudas.

Até o momento, no Córrego Ferrugem, nenhum ponto da obra das bacias foi iniciado. O contrato, que é de 2009 com o governo federal, foi cancelado em 2014 por falta de execução. No entanto, segundo o Estado, as desapropriações das famílias que moram na região da obra começaram há mais dez anos. Cerca de 500 famílias foram removidas e ainda hoje dependem de aluguel social pago pelo Estado.

Por isso, o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DER-MG) continuará responsável pela conclusão dessas desapropriações e a entrega de apartamentos. Em 2020, o governador esteve em uma dessas unidades habitacionais assinando a ordem de serviço para a construção de 144 apartamentos e entregou 48 unidades habitacionais. A obra está em execução.

Já no Riacho das Pedras, a obra e desapropriações necessárias são de responsabilidade da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais (Seinfra). Em 2012, foi firmado termo de compromisso junto ao governo federal para construção de quatro bacias de contenção e um canal de macrodrenagem na Bacia do Córrego Riacho das Pedras, em Contagem, que é um afluente da Bacia do Arrudas.

Parceria

Durante a assinatura, Zema destacou a importância da iniciativa conjunta para levar dignidade aos mineiros que moram ou possuem comércio na região. "A nossa união não tem bandeira partidária. Tem, sim, a bandeira que é o bem de Minas Gerais. Agradeço as prefeituras de Contagem e BH por também estarem empenhadas na solução desse problema tão crítico", declarou.

A prefeita de Contagem, Marília Campos, também ressaltou o caráter apartidário da parceria, realizada em prol dos mineiros. "Estamos aqui celebrando essa parceria, mais uma vez, entre Contagem, BH e Governo de Minas. Parceria em que não existe corpo partidário que impede de ser realizada. Com um comportamento político e republicano a gente se une para resolver o problema do povo", defendeu.

Também presente na cerimônia, o vice-prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman, agradeceu ao governador pela iniciativa. "É um gesto extremamente democrático e republicano o senhor separar parte dos recursos da indenização da Vale para resolver um problema que está colocado na Região Metropolitana de Belo Horizonte há décadas. Um acordo tripartite como esse há muito não se via", destacou.



0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!