• jornalismo42

Iniciativa contra enchentes, jardins de chuva são concluídos em BH e Contagem

Belo Horizonte e Contagem, na Região Metropolitana, ganharam jardins de chuva. A solução promove a infiltração e a retenção da água da chuva, o que contribui para evitar enchentes, além de aumentar a biodiversidade e melhorar a qualidade do ar.

As obras foram financiadas pelo governo alemão por meio do projeto Interact-Bio, liderado pelo Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade, uma rede global de desenvolvimento sustentável. A Grande BH foi uma das três regiões metropolitanas selecionadas no Brasil, ao lado de Londrina e Campinas, e recebeu cerca de 50 mil euros. Foram exatos R$ 251.531,15 para os dois jardins, segundo a prefeitura de BH.

Na capital, o jardim de chuva foi implantado no Parque Municipal Fazenda Lagoa do Nado, na Região Norte; em Contagem, na Praça Presidente Tancredo Neves, em frente à

prefeitura.

Cada jardim tem uma área de 150 metros quadrados, e os dois são concluídos até esta sexta-feira (22), segundo a arquiteta e sócia do escritório Guajava, que executa as obras, Riciane Pombo. As obras são entregues em meio ao período chuvoso.

"Jardins de chuva são mais profundos, eles têm espaço para a água ficar reservada durante certo tempo, ajudando na diminuição de alagamentos e enchentes. A ideia é que a água de chuva escorra pelas calçadas, entre no jardim e tenha espaço para permanecer", explica Riciane. De acordo com ela, parte da água infiltrada na vegetação volta para o lençol freático, e o excedente não absorvido pelo solo é encaminhado para a rede de drenagem do sistema, como bocas de lobo e galerias pluviais.

As plantas que compõem os jardins de chuva também são escolhidas com base em critérios técnicos: a ideia é trabalhar espécies que absorvem e tratam a água, como a taioba.

"Não é uma promessa para resolver a questão da drenagem, mas a ideia é que esse jardim seja um exemplo replicado em toda a cidade. Quanto mais jardins de chuva espalhados, melhor a qualidade do drenagem e da água que volta para o lençol freático", diz Riciane.

Segundo a arquiteta, é importante também conscientizar as pessoas sobre a importância da manutenção e a conservação desses espaços. "Uma coisa singela pode se transformar em um benefício muito grande para toda a sociedade", afirma.


30 jardins até 2025

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, o Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) tem como meta a implantação de 30 jardins de chuva no município até 2025.

Mas, por enquanto, apenas outros dois de iniciativa do Executivo já estão prontos: um na Praça JK e outro na rua Prof. Ricardo Pinto, no bairro Itapoã.

"Esta rua foi escolhida por contribuir para a redução dos efeitos negativos do escoamento das águas das chuvas sobre o Parque Municipal Fazenda Lagoa do Nado, de forma a auxiliar na redução dos volumes de água que chegam em importantes pontos de alagamento da Regional Venda Nova: a Rua Doutor Álvaro Camargos e a Av. Vilarinho", disse a prefeitura.

O Parque Lagoa do Nado foi escolhido para este projeto porque a ideia é que o jardim "seja um instrumento educativo, demonstrativo da viabilidade das técnicas utilizadas".

"Trata-se de um jardim com várias técnicas para servir de demonstração em um local no qual as pessoas possam ter acesso e conhecerem mais de perto o funcionamento", disse a administração municipal. Segundo a prefeitura, além dos jardins de chuva implantados por iniciativa do Executivo, também existem alguns sendo implantados por força de medidas compensatórias do licenciamento urbanístico e ambiental. E são eles que vão tornar viável a meta do PPAG.

Já a Prefeitura de Contagem confirmou que as obras de implantação do jardim de chuva serão concluídas nesta semana, mas afirmou que a inauguração está prevista para o início de dezembro, "após o acompanhamento diário e alguns ajustes, se necessário".

Segundo o Executivo, a praça Presidente Tancredo Neves foi escolhida porque sofre com alagamentos no período chuvoso e recebe grande fluxo de visitação.

A prefeitura disse, ainda, que não há previsão de implantação de jardins de chuva em outras áreas, "mas, diante do sucesso do projeto, outros pontos na cidade podem ser escolhidos".




0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!