• jornalismo42

Minas já recebeu cerca de 900 mil doses de vacinas contra Covid-19

Minas Gerais já recebeu, até esta terça-feira (26), três remessas com doses de vacinas contra a Covid-19. Ao todo, o governo do estado já recebeu cerca de 900 mil doses.

A primeira remessa, de 577.680 doses da CoronaVac, chegou na noite do dia 18 de janeiro e foi distribuída às 28 regionais de saúde ainda no dia 19. As 853 prefeituras de Minas tiveram que retirar suas doses diretamente nessas regionais.

A segunda remessa, de 190.500 doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca produzidas no Instituto Serum, na Índia, chegou a Minas no último domingo (24). E a terceira remessa, com 87.600 doses, também de CoronaVac, chegou ao estado nesta segunda-feira (25).

Estas duas últimas remessas começarão a ser distribuídas para as regionais de saúde a partir desta quinta-feira (28), segundo o governo. Os municípios devem começar a retirada na próxima segunda (1º).

Somando as três remessas, Minas Gerais já recebeu, portanto, 855.780 doses. Como são necessárias duas doses para imunizar uma pessoa, isso significa que 427 mil mineiros poderão estar vacinados nos próximos dias.

Segundo o governo, a expectativa é que mais remessas cheguem periodicamente:

"A expectativa da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) é a de que a partir das negociações feitas pelo Ministério da Saúde e com as liberações da Anvisa, o estado receba, periodicamente, novas remessas da vacina. A SES-MG dará continuidade a uma logística de segurança e agilidade para que o repasse dos imunizantes aos municípios seja feito de forma célere."

Quantidade de vacinados Até o momento, Belo Horizonte já vacinou 43.334 pessoas, segundo o boletim epidemiológico desta terça. O governo de Minas Gerais ainda não divulgou a quantidade de pessoas vacinadas em todo o estado. A expectativa é que esse "vacinômetro" seja divulgado a partir desta quarta (27).

Segundo a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), o governo já vai iniciar a vacinação da segunda dose na próxima segunda (1ª).


O público-alvo estipulado pelo Ministério da Saúde é o seguinte:

  • Pessoas com 60 anos ou mais que estejam em asilos ou instituições de longa permanência (38.578 em Minas, segundo o Ministério da Saúde);

  • Pessoas com deficiência que estejam em instituições de longa permanência (1.160 em Minas);

  • População indígena vivendo em terras indígenas (7.878 em Minas);

  • Trabalhadores de saúde na linha de frente contra a Covid-19 (o cálculo foi para 34% desses profissionais, que, em Minas, representam 227.472)

Os municípios têm autonomia para priorizar apenas um dos grupos, como Belo Horizonte fez ao vacinar apenas profissionais de saúde.




0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!