• Adriana Valadares

PBH negocia compra da vacina Sputnik V e anuncia mais restrições na capital

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) anunciou a negociação para a compra de 4 milhões de doses da vacina Sputnik V, produzida pela Rússia. "Já tivemos conversas com a cônsul da Rússia disponibilizar assim que a lei permitir. Vamos fazer pagamento adiantado pra que não haja problemas", disse o prefeito.

Em seu perfil no twitter, o prefeito disse que "após reunião com o consulado da Rússia, ficou definido que será assinado na segunda-feira o primeiro dos acordos com o Fundo Russo de Investimento Direto, responsável pela Sputnik V".

A vacina não conta com aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): os responsáveis pelo imunizante ainda precisam realizar o pedido de uso emergencial. Para apoiar a comercialização no país, os russos firmaram parceria com a farmacêutica brasileira União Química.

Ainda não foi divulgado um possível prazo para a chegada da vacina à capital. Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde assinou contrato para compra de 10 milhões de doses da Sputnik V.

Em fevereiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que estados e municípios podem adquirir imunizantes, caso haja falhas no planejamento por parte da União.

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quarta-feira (10), a lei que facilita a compra de vacinas contra a Covid-19.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (10) uma resolução que oficializa as regras para que estados, o Distrito Federal, municípios e o setor privado possam importar medicamentos e vacinas contra a Covid-19, mesmo aqueles que não tenham aprovação para uso no Brasil.

Porém, o prefeito de Belo Horizonte disse que tem conversado com o senador Antonio Anastasia (PSDB) sobre a legislação relacionado a compra de vacinas por municípios.



Kalil ao anunciar medidas mais restritivas em BH para combater a Covid-19

A partir desta segunda-feira (15), cursos de idiomas e de artes, além de lojas de material de construção, não poderão abrir as portas. Bares e restaurantes só irão funcionar no sistema delivery. A entrega no local não será permitida. Cultos presenciais de todas as religiões também não serão permitidos. Carros de lanches também estão proibidos de funcionar, além de autoescolas. Praças e pistas de caminhada em BH também estão fechadas.

O atendimento presencial ao público na Central de Relacionamento BH Resolve também será interrompido. Os serviços poderão acessar o portal de serviços da Prefeitura ou utilizar o aplicativo PBH APP para solicitar demandas.

As medidas valem por tempo indeterminado.

Veja quais são os serviços considerados essenciais pela PBH, e que podem seguir em funcionamento:

  • Padaria (todos os dias, de 5h a 22h)

  • Comércio varejista de laticínios e frios (7h a 21h)

  • Açougue e Peixaria (7h a 21h)

  • Hortifrutigranjeiros (7h a 21h)

  • Minimercados, mercearias e armazéns (7h a 21h)

  • Supermercados e hipermercados (7h a 22h)

  • Artigos farmacêuticos (sem restrição de horário)

  • Artigos farmacêuticos, com manipulação de fórmula (sem restrição de horário)

  • Comércio varejista de artigos de óptica (sem restrição de horário)

  • Artigos médicos e ortopédicos (sem restrição de horário)

  • Combustíveis para veículos automotores (sem restrição de horário)

  • Peças e acessórios para veículos automotores (8h a 17h)

  • Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo - GLP (sem restrição de horário)

  • Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista listado nesta relação (5h a 17h)

  • Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários (sem restrição de horário)

  • Casas lotéricas (sem restrição de horário)

  • Agência de correio e telégrafo (sem restrição de horário)

  • Comércio de medicamentos para animais (sem restrição de horário)

  • Atividades de serviços e serviços de uso coletivo, exceto os especificados no art. 2º do Decreto nº 17.328, de 8 de abril de 2020 (sem restrição de horário)

  • Atividades industriais (sem restrição de horário)

  • Restaurantes e outros serviços de alimentação, desde que em sistema de delivery (sem restrição de horário)

  • Banca de jornais e revistas (sem restrição de horário)

  • Restaurantes, lanchonetes, bares e estabelecimentos congêneres no interior de hotéis, pousadas e similares, para atendimento exclusivo aos hóspedes (sem restrição de horário)

  • Atividades acima, em funcionamento no interior de shopping centers, galerias de loja e centros de comércio (Deverão ser observados os horários de cada atividade)


Veja a seguir algumas atividades que estão suspensas por tempo indeterminado:

  • comércio de vestuário, calçado, relojoaria, papelaria, entre outros;

  • bares e restaurantes (mas é autorizado delivery e retirada no local);

  • casas de shows e espetáculos de qualquer natureza;

  • boates, danceterias, salões de dança;

  • casas de festas e eventos;

  • feiras, exposições, congressos e seminários;

  • shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas;

  • cinemas e teatros;

  • clubes de serviço e de lazer;

  • academia, centro de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico;

  • clínicas de estética e salões de beleza;

  • parques de diversão e parques temáticos;

  • autorizações para eventos em propriedades e logradouros públicos;

  • autorizações de feiras em propriedade;

  • autorizações para atividades de circos e parques de diversões;

  • escolas;

  • feiras públicas, como a Feira Hippie;

  • festas em espaços comuns de condomínios residenciais ou corporativos;

  • parques, praças e locais de caminhada;

  • lojas de material de construção;

  • cursos de idioma e artes;

  • cultos religiosos presenciais






0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!