• jornalismo42

PM prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em assalto a motoristas de aplicativo

Policiais militares prenderam três suspeitos de assaltar um motorista de aplicativo em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime foi na noite desta terça-feira (5). Esse é o quarto caso envolvendo motoristas de aplicativo na Grande BH em apenas cinco dias.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Zeneir Rodrigues da Silva, de 35 anos, contou que recebeu uma chamada pelo aplicativo para fazer uma corrida na região do zoológico da capital, por volta das 22h13. Quando chegou ao local de embarque, três homens entraram no carro dele. Ainda segundo a vítima, um dos passageiros sentou no banco da frente e pediu que ele fizesse um desvio da rota indicada pelo aplicativo. No relato, o motorista contou ter percebido algo errado, admitiu ter medo, mas fez o que o passageiro solicitou. Assim que desviou a rota, um dos homens deu um golpe conhecido como “gravata” em Zeneir. Rendido, o motorista contou que um dos passageiros sentados no banco de trás apontou a arma para ele. Ele ainda relatou que, sob ameaça de morte, os suspeitos vasculharam os bolsos dele e recolheram pertences de valor, entre eles, o celular. A vítima foi deixada em uma rua do bairro Pedra Azul, em Contagem. Orientado pelos criminosos a não olhar para trás, o motorista caminhou pela região até encontrar um morador, que lhe emprestou o telefone para acionar a polícia. ‘Esfriar’ Após o relato da vítima, militares fizeram buscas pelos criminosos na região. Dois deles foram identificados pelos policiais em uma rua próxima ao local do crime. Ao serem abordados, eles confessaram ter envolvimento no assalto. Os suspeitos informaram que o carro da vítima foi deixado em um local do bairro Pedra Azul para “esfriar”. Segundo a PM, na gíria do crime, “esfriar” significa abandonar o veículo em local ermo para ser retirado horas depois por um receptador, que vai definir o destino do carro. Os suspeitos levaram os militares até o local onde estava o veículo, próximo a um centro de distribuição desativado de uma grande rede de lojas de eletrodomésticos. A chave do carro e as armas utilizadas no crime foram encontradas escondidas em árvores, nas redondezas do bairro Pedra Azul. A polícia recuperou, ainda, o celular da vítima. Segundo o boletim de ocorrência, os criminosos utilizaram simulacros de arma. Após recuperarem o carro e o material roubado, os militares saíram em busca do terceiro suspeito. Os comparsas passaram o endereço do homem conhecido como “Cabelim”. Quando a PM chegou à casa dele, a esposa permitiu a entrada dos policiais. O homem foi surpreendido e acabou confessando a participação no crime. Inclusive, o rapaz entregou mais um simulacro de arma que estava escondido sob roupas no sofá da sala. Os três suspeitos foram presos e levados para a delegacia. A polícia suspeita que eles fazem parte de uma quadrilha especializada em assaltar motoristas de aplicativo. Os três acumulam passagens por tráfico, roubo e receptação.


Outros casos

Na segunda-feira (4), mais um motorista de aplicativo foi sequestrado e torturado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Este foi o terceiro caso em menos de uma semana. A vítima foi chamada para atender uma corrida em Vespasiano e desapareceu.

De acordo com a Polícia Militar, dois homens renderam o motorista e injetaram uma substância que fez com que ele desmaiasse. A vítima foi encontrada por moradores dentro do porta-malas do carro em uma rua de Santa Luzia, também na região metropolitana. Ele estava com as mãos e os pés amarrados, além de marcas de agressões pelo corpo. O motorista foi levado por policiais militares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro São Benedito.


No último sábado (2), um motorista de aplicativo foi rendido por assaltantes em Sabará. De acordo com a Polícia Militar (PM), dois suspeitos foram detidos na madrugada de domingo (3) após perseguição. Segundo os militares, a vítima buscou dois passageiros no bairro Jardim Vitória e foi surpreendida quando eles anunciaram o assalto. O motorista passou cerca de 30 minutos mantido como refém e foi abandonado no bairro Vila Nova Vista.


Também no sábado, o corpo de Anderson Coelho Alves foi encontrado perto do carro que dirigia em Vespasiano. Ele foi sequestrado, torturado e morto a facadas. Por causa da onda de violência, motoristas de aplicativos têm feito mobilizações durante toda a semana. Eles reivindicam providências para o aumento da segurança para que possam trabalhar com tranquilidade.


Pelo segundo dia consecutivo, motoristas de aplicativo fizeram uma manifestação, nesta terça-feira (5), no bairro Mangabeiras, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Eles se concentraram na Praça do Papa, desceram a Avenida Afonso Pena e seguiram até a Cidade Administrativa, na Região Norte, sede do governo estadual.



0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!