• jornalismo42

Regiões mudam de fase no Minas Consciente e governo divulga orientações para Carnaval

Duas regiões de Minas avançaram e duas regrediram nas ondas do programa de flexibilização do isolamento social do governo do estado, Minas Consciente. A decisão foi tomada durante reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 nesta quarta-feira (3). O encontro discutiu também medidas de segurança para o período de Carnaval.

O programa Minas Consciente, que orienta municípios em relação a protocolos para a retomada segura das atividades econômicas durante o período de pandemia, sofreu, na semana passada, a terceira mudança. Agora, todas as atividades podem funcionar em todas as ondas – vermelha, amarela e verde. O que muda são os protocolos e as restrições. “Nesta alteração, todas as atividades passaram a poder funcionar em todas as ondas, mas com nível de funcionamento diferente: de forma mais restritiva na onda vermelha, de forma intermediária na onda amarela e de forma menos restritiva na onda verde”, explicou o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Saúde João Pinho. As regiões Sudeste e Centro, onde fica a região metropolitana de Belo Horizonte, saíram da onda mais restritiva, vermelha, para a intermediária, amarela, em que é permitida a realização de eventos para até 100 pessoas, desde que sejam respeitadas as normas de distanciamento e capacidade do local. Já a região Triângulo do Sul, que estava na onda menos restritiva, verde, regrediu e também está na onda amarela. Além disso, a região do Vale do Aço deverá adotar as medidas da onda vermelha, a mais restritiva. Segundo o governo, esta regressão é uma medida de contenção. Orientações para o carnaval Entre as medidas recomendadas às prefeituras para o período de Carnaval, que vai de 12 a 17 de fevereiro, estão a suspensão do ponto facultativo e a proibição do fechamento de ruas e praças para fins festivos. As unidades de conservação, balneários e equipamentos históricos do Estado deverão permanecer fechados ao público.

Veja outras orientações:

  • Não autorizar o fechamento de ruas, praças e congêneres para fins festivos;

  • Não autorizar, no âmbito de seu território, o uso de espaços de serviços para fins de eventos de Carnaval, tais como academias, clubes, centros de compras, estacionamentos e congêneres;

  • Não decretar feriado ou ponto facultativo no período do Carnaval;

  • Cancelar eventuais celebrações cívicas municipais;

  • Implementar, durante o Carnaval, as medidas de segurança próprias para a onda vermelha, independentemente da fase de funcionamento das atividades socioeconômicas em que se encontrar a macro ou microrregião;

  • Suspender a realização de qualquer evento, público ou privado, de qualquer natureza, no período em questão, inclusive para aqueles de pequeno porte de que trata o protocolo para a onda vermelha;

  • Adotar medidas para evitar aglomerações em locais turísticos e esportivos, tais como praças, balneários, estádios e congêneres; desestimular o uso de equipamentos de amplificação sonora ou instrumentos musicais que possam incentivar aglomerações.



0 comentário
radio_bar2.png

Ouça ao vivo!